PETROGÊNESE E IDADE QUÍMICA U-Th-Pb DOS PEGMATITOS DE ITAMBÉ (BA) REGISTRADAS PELA MONAZITA

  • Alexandre de Oliveira Chaves IGC/UFMG
  • Rafael De Magalhães Gomes Ferreira
  • Ricardo Scholz
  • Guilherme De Oliveira Gonçalves

Abstract

Imagens de elétrons retro-espalhados e microanálises químicas por microssonda eletrônica foram obtidas a partir de cristais de monazita pertencentes aos pegmatitos Bananeira, Itambé, Coqueiro, Cavada e Paraíso do município de Itambé-BA, inseridos na Província Pegmatítica Oriental Brasileira (PPOB). Os cristais mostram-se homogêneos, ou seja, livres de domínios/zoneamentos composicionais e seus teores de U, Th e Pb permitiram a obtenção de idade química média de 502 Ma para o distrito pegmatítico de Itambé. Seus padrões de terras raras normalizados ao condrito mostram anomalia positiva de Sm, elemento fortemente particionado em anfibólio. Esta anomalia sugere que no contexto pós-colisional do Orógeno Araçuaí houve a fusão parcial da rocha encaixante biotita-hornblenda gnaisse durante o processo de descompressão regional associado ao colapso do orógeno, gerando um magma granítico hidratado o bastante para permitir o avolumado crescimento de cristais dos pegmatitos de Itambé, incluindo a monazita. Este mineral atua, portanto, não só como um geocronômetro, mas também como importante indicador petrogenético dos pegmatitos estudados.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
08-07-2020
How to Cite
Chaves, A. de O., Ferreira, R. D. M. G., Scholz, R., & Gonçalves, G. D. O. (2020). PETROGÊNESE E IDADE QUÍMICA U-Th-Pb DOS PEGMATITOS DE ITAMBÉ (BA) REGISTRADAS PELA MONAZITA. Geochimica Brasiliensis, 34(1), 59-71. Retrieved from https://geobrasiliensis.emnuvens.com.br/geobrasiliensis/article/view/628
Section
Articles