Avaliação de risco à saúde humana associada ao consumo de águas subterrâneas contaminadas em Capitão Gervásio de Oliveira, Estado do Piauí

  • Zuleica Castilhos Centro de Tecnologia Mineral, Ministério da Ciência e Tecnologia (CETEM/MCT) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • Ricardo Cesar Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
  • Ricardo Sierpe Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói (RJ), Brasil.
  • Jenesca Florencio Centro de Tecnologia Mineral, Ministério da Ciência e Tecnologia (CETEM/MCT) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
  • Patricia Araujo Centro de Tecnologia Mineral, Ministério da Ciência e Tecnologia (CETEM/MCT) – Rio de Janeiro (RJ), Brasil.

Abstract

Os riscos potenciais à saúde humana associados à presença de elementos traços (Ba, B, Ni, Hg, Zn, Mg, Ca, K, P, Na, Cl-, F-) e patógenos fecais foram avaliados em 12 poços de captação de água subterrânea em Capitão Gervásio de Oliveira, Piauí. A metodologia de avaliação de risco à saúde humana proposta pela Agência Americana de Proteção Ambiental foi utilizada para a estimativa numérica dos riscos relacionados à exposição ambiental por Ni, Hg, Zn, B e Ba. A determinação dos coliformes totais e de Escherichia coli foi realizada com o emprego do método Colilert. Todas as concentrações obtidas foram comparadas aos padrões de qualidade recomendados pela legislação brasileira. Os resultados mostraram que os teores da maior parte dos elementos estudados estão abaixo dos valores máximos estipulados pela legislação, com exceção do Hg, Ni e Cl-. Todos os poços estudados mostram águas inapropriadas para o consumo humano quando se considera a contaminação por coliformes. Ainda, a estimativa numérica do risco total à saúde humana indicou que o Ni e o Hg são os metais que mais efetivamente participam do acréscimo de perigo, devendo ser priorizados em ações que decresçam os teores desses metais-traço nas águas consumidas pela população.
Published
05-09-2014
Section
Articles